2017 – o ano do Bitcoin?

0
732

2017 começa com o #bitcoin acima de USD 1,000 após disparar 25% nas últimas semanas quando negociava entre 750 e 800 dólares. Embora esse aumento de preço rápido e expressivo possa trazer uma correção (realização de lucros) no curto prazo, entendo que o movimento atual é muito mais sustentável do que aquele observado no final de 2013.

Alguns dados que ilustram essa evolução

– volume diário de transações 6x maior (https://goo.gl/XXG1yc)

– crescimento do número wallets, só a Blockchain.info reportou mais de 5 milhões novas carteiras criadas em 2016 (https://goo.gl/G4xt9i)

– volatilidade em queda, influenciada pela maior dispersão da base de usuários e consequente “network effect”, conforme destacado pelo Wall Street Journal (https://goo.gl/6b6C1E)

– o furor global sobre “blockchain” desde meados de 2015 difundiu o conhecimento sobre a tecnologia. Todo curioso que buscou entender seu potencial e encontrar exemplos de uso se deparou com evidências incontestáveis da inovação trazida pelo bitcoin e a solidez de seu funcionamento 24 por 7 desde 2009

Fatores macroeconômicos impulsionaram o movimento em 2016

– aumento da volatilidade por surpresas em eventos políticos (Brexit, Trump, referendo italiano) levaram a busca por ativos menos correlacionados com o sistema financeiro tradicional

– controle de capitais e desvalorização de moedas de mercados emergentes: China com o Yuan caindo de forma expressiva e impondo limites de compra de moeda estrangeira (https://goo.gl/pzX1W3), India retirando de circulação as notas de maior denominação, países com instabilidade política e econômica como Venezuela, Nigéria e outros

Mercado brasileiro

O volume negociado em 2016 nas 3 maiores exchanges do país superou R$ 300 milhões segundo o relatório BitValor e tem expectativa de superar R$ 1 bilhão em 2017. Segundo João Canhada, CEO da FoxBit, maior exchange do país: “2016 foi um ano surpreendente. Grandes instituições financeiras começando a explorar blockchain, enquanto alguns de seus executivos apesar de ainda demonstrarem restrições montaram posição em bitcoin e obviamente ficaram felizes com o resultado do investimento comparado aos ativos mais tradicionais de suas carteiras! 2017 com certeza o bitcoin vai mostrar a que veio”.

Rocelo Lopes, CEO da CoinBR, também afirmou que 2016 superou todas as suas expectativas de volume e que novos serviços estarão disponíveis na wallet da empresa ainda em janeiro de 2017, como por exemplo, compra de bitcoins através das agências dos 2 principais bancos do país: “Os usuários poderão adquirir bitcoins de forma simples e descomplicada através de um depósito em dinheiro, identificado com um código fornecido pela CoinBR, que será convertido automaticamente e depositado em sua wallet. Além disso nossa missão é oferecer a mesma praticidade que o cliente encontra no internet banking tradicional porém operando com bitcoin e outras criptomoedas”

2017 pode ser o ano da chegada do “big money” ao bitcoin

Espera-se que a SEC (Securities Exchange Comission), órgão que regula o mercado de capitais nos Estados Unidos, anuncie a decisão sobre ETFs (fundos de investimentos com cotas negociadas em bolsa) que poderão investir em bitcoins (destaque para o fundo dos irmãos Winklevoss) tornando a criptomoeda mais acessível a bilhões de dólares hoje alocados em portfólios tradicionais. O Reino Unido aprovou em dezembro o primeiro fundo de bitcoins regulado e listado em bolsa (https://goo.gl/PYWqjd).

Outro possível avanço vem da bolsa de Chicago (CME – Chicago Mercantile Exchange), que está trabalhando na criação de um índice oficial para a cotação BTC/USD e isso abrirá caminho para desenvolvimento de contratos derivativos regulados, atraindo cada vez mais investidores institucionais com mais opções de posicionamento.

Acima dos USD 1,200 entraremos em águas nunca antes navegadas, pelo potencial que a tecnologia apresenta e seu relativamente pequeno valor de mercado atual (USD 16 bi) não descarto uma disparada acima de 3 dígitos novamente esse ano. Certeza mesmo só tenho sobre a volatidade, que será alta e aí posso citar a velha frase “mar calmo nunca fez bom marinheiro” ou como diz Andreas Antonopoulos “Bitcoin é punk rock!”

 

IMPORTANTE: as opiniões contidas nesse texto são do autor, não necessariamente refletem a opinião do FintechLab.com.br e não caracterizam recomendação de investimento.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here